Páginas

26 de novembro de 2012

Peito de Frango com Bacon e Vinho Branco

   Preparo bem fácil e rápido. Ao contrário do que se pode pensar, o bacon com o vinho branco fica bem suave, e dá um sabor muito especial ao frango.
   Para tentar harmonizar, testei com o que tinha na geladeira mesmo, já sabendo de antemão que apesar da qualidade do estoque as combinações eram um tanto arriscadas. Veja ali no final do texto.

   PEITO DE FRANGO COM BACON E VINHO BRANCO:

  - 2 peitos de frango, sem pele e sem ossos
  - 4 tiras bem finas de bacon
  - 150ml de vinho branco
  - sal e pimenta do reino a gosto

   Numa frigideira média, coloque um fio de azeite de oliva e acrescente as tiras de bacon. Frite até que a gordura do bacon solte na frigideira e ele fique crocante. Retire o bacon e embrulhe em papel alumínio. Reserve.
   Na mesma frigideira, frite o frango por alguns minutos de cada lado, até dourar e cozinhar a carne por dentro. Corrija sal e pimenta. Enquanto isso, esmigalhe o bacon - se preferir, use um pequeno pilão. Retire o frango e reserve quente num prato de servir.
   Ainda na mesma frigideira, coloque o bacon esmigalhado e junte o vinho branco. Mexa um pouco e deixe ferver por 2 minutos. Regue o frango com esse molho e sirva ainda quente.

   HARMONIZAÇÕES:


BODEBROWN BLACK RYE IPA
 
   Sou suspeito para falar das cervas da Bodebrown. Fã da marca, ainda não havia provado a Black Rye IPA. É uma India Pale Ale com lúpulos norte-americanos, de aroma proeminente e bem cítrico, leve picância, colocação escura. 7,0% de álcool. Fantástica.
   A combinação com o prato não ficou perfeita, mas até que casou . A cerveja acabou sobressaindo mais que o prato, o que já se esperava.

QUINCAS POWERSLAVE IMPERIAL IPA

   Nome doido? É a Imperial IPA que eu fiz. Louco mesmo foi o dia da produção: queimou a bomba de recirculação, fiz todo o processo manual e uma sujeira enorme, quase tive que dormir no sofá (depois do equipamento de produção, o sofá da sala é o melhor investimento que o cervejeiro pode fazer!). Mas Deus mora nos detalhes, e apesar das linhas tortas foi a melhor das (poucas) que já produzi. Coloração cobre avermelhado, bom colarinho, aromas intensos de lúpulo com longo e persistente amargor. Power de 8,7% de álcool.
   Óbvio, com todo o amargor da cerva, o prato desapareceu. O frango, bem suave, e o bacon suavizado pelo vinho branco não se notaram. Mas rendeu uma dose extra de prazer de combinar com minha própria produção.



  Prepare com o coração. Deguste em boa companhia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário