Páginas

26 de novembro de 2012

Peito de Frango com Bacon e Vinho Branco

   Preparo bem fácil e rápido. Ao contrário do que se pode pensar, o bacon com o vinho branco fica bem suave, e dá um sabor muito especial ao frango.
   Para tentar harmonizar, testei com o que tinha na geladeira mesmo, já sabendo de antemão que apesar da qualidade do estoque as combinações eram um tanto arriscadas. Veja ali no final do texto.

   PEITO DE FRANGO COM BACON E VINHO BRANCO:

  - 2 peitos de frango, sem pele e sem ossos
  - 4 tiras bem finas de bacon
  - 150ml de vinho branco
  - sal e pimenta do reino a gosto

   Numa frigideira média, coloque um fio de azeite de oliva e acrescente as tiras de bacon. Frite até que a gordura do bacon solte na frigideira e ele fique crocante. Retire o bacon e embrulhe em papel alumínio. Reserve.
   Na mesma frigideira, frite o frango por alguns minutos de cada lado, até dourar e cozinhar a carne por dentro. Corrija sal e pimenta. Enquanto isso, esmigalhe o bacon - se preferir, use um pequeno pilão. Retire o frango e reserve quente num prato de servir.
   Ainda na mesma frigideira, coloque o bacon esmigalhado e junte o vinho branco. Mexa um pouco e deixe ferver por 2 minutos. Regue o frango com esse molho e sirva ainda quente.

   HARMONIZAÇÕES:


BODEBROWN BLACK RYE IPA
 
   Sou suspeito para falar das cervas da Bodebrown. Fã da marca, ainda não havia provado a Black Rye IPA. É uma India Pale Ale com lúpulos norte-americanos, de aroma proeminente e bem cítrico, leve picância, colocação escura. 7,0% de álcool. Fantástica.
   A combinação com o prato não ficou perfeita, mas até que casou . A cerveja acabou sobressaindo mais que o prato, o que já se esperava.

QUINCAS POWERSLAVE IMPERIAL IPA

   Nome doido? É a Imperial IPA que eu fiz. Louco mesmo foi o dia da produção: queimou a bomba de recirculação, fiz todo o processo manual e uma sujeira enorme, quase tive que dormir no sofá (depois do equipamento de produção, o sofá da sala é o melhor investimento que o cervejeiro pode fazer!). Mas Deus mora nos detalhes, e apesar das linhas tortas foi a melhor das (poucas) que já produzi. Coloração cobre avermelhado, bom colarinho, aromas intensos de lúpulo com longo e persistente amargor. Power de 8,7% de álcool.
   Óbvio, com todo o amargor da cerva, o prato desapareceu. O frango, bem suave, e o bacon suavizado pelo vinho branco não se notaram. Mas rendeu uma dose extra de prazer de combinar com minha própria produção.



  Prepare com o coração. Deguste em boa companhia.

22 de novembro de 2012

Carne ao molho de cerveja defumada, com cerveja defumada

   Nessas minhas experimentações de combinar cerveja com comida, resolvi tentar a linha "cozinhe com a bebida, sirva com a mesma bebida".
   Depois de ter provado uma cerveja do estilo Rauchbier, fiquei muito curioso em saber como fazer uma boa harmonização de uma cerveja tão singular: aroma com mistura de fumaça e malte, dando a impressão de defumado semelhante a bacon ou madeira, seguindo a mesma tendência no sabor.
   E para matar a curiosidade, tem que se provar mesmo. E foi. Veja só no que deu...

   CARNE AO MOLHO DE CERVEJA DEFUMADA:

  - 500g de alcatra sem gordura, cortada em tirinhas ou cubos
  - 350ml de cerveja estilo Rauchbier (eu usei a Eisenbahn, que tem um ótimo custo/benefício)
  - 1 cebola média, cortada finamente
  - 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  - 1/2 dente de alho bem picado
  - 100g de bacon bem picado
  - 1 ramo de salsinha bem picado
  - 1 lata de molho de tomates
  - 1 copo (250ml) de água
  - azeite de oliva
  - sal e pimenta do reino a gosto

   Tempere as tirinhas ou cubos de alcatra com sal e pimenta. Reserve.
   Numa panela grande, aqueça um fio de azeite de oliva e refogue o bacon. Junte a cebola e o alho e deixe dourar. Junte a carne e deixe fritar até dourar, sempre em temperatura alta. Espalhe a farinha por cima da carne e regue com a cerveja. Encorpore o molho de tomate e a água e mexa devagar até misturar bem. Baixe o fogo e deixe engrossar por 30 minutos, com a panela tampada pela metade.
   Espalhe a salsinha picada por cima do molho e sirva ainda quente.


HARMONIZAÇÃO:

AECHT SCHLENKERLA RAUCHBIER

   Uma Alemã da região de Bamberg, clássica referência do estilo. Coloração âmbar/cobre avermelhada, brilhante e com boa formação de espuma. Aroma defumado bastante proeminente, com o sabor acompanhando bem o perfume.
   A harmonização do molho defumado com a cerveja no mesmo estilo ficou bem legal. Criou um amargor que não estava presente nem no prato nem na cerveja isolados, e que desceu bem macio pela garganta. Valeu a tentativa!



   Prepare com o coração. Deguste em boa companhia.


14 de novembro de 2012

Salmão com molho de tomates e suco de laranja - e cerveja India Pale Ale


 O suco de laranja e os tomates formam uma ótima dupla para acompanhar esse salmão ao forno.

   SALMÃO COM MOLHO DE TOMATES E SUCO DE LARANJA:

  - 4 filés de salmão, sem pele e sem espinhos
  - suco de 3 laranjas
  - 3 tomates maduros, sem pele e sem sementes, bem picados
  - 1/2 dente de alho bem picado
  - alguns tomates cereja, picados em 4 partes cada,  para finalizar e enfeitar
  - papel manteiga para assar
  - sal e pimenta do reino a gosto

   Tempere os filés de salmão com 1/3 do suco de laranja e um pouco de sal e pimenta. Reserve.
   Forre uma assadeira com papel manteiga e disponha os filés com o suco onde estavam temperando. Leve ao forno médio por 40 minutos, virando os filés na metade do tempo, com bastante cuidado para não desmancharem.
   Numa panela média, coloque um fio de azeite de oliva e acrescente o dente de alho picado. Deixe dourar, coloque os tomates e refogue por 3 minutos. Junte o suco de laranja e deixe engrossar por mais 2 minutos. Corrija o sal.
   Quanto os filés estiverem prontos, sirva-os cobrindo com o molho e enfeitando com os tomates cereja. Aqui, eu acompanhei com arroz branco.


 HARMONIZAÇÃO:



FULLER´S INDIA PALE ALE:
 
   Uma Inglesa típica do estilo English India Pale Ale, com 5,3% de álcool. Cerveja com coloração dourada e brilhante; aromas florais de lúpulo e notas cítricas; amargor e corpo leves.
   Combinou extremamente bem com o cítrico do suco de laranja e do tomate. No final deixou um gostinho de "quero mais" tanto do salmão quanto da cerveja.




   Prepare com o coração. Deguste em boa companhia.
   

8 de novembro de 2012

Mousse de Avocado e Salmão Defumado - com harmonização cervejeira


  Como sabem alguns de meus amigos, estou agora fazendo um curso de sommelier de cervejas. Não é fácil; como o mundo da gastronomia, o mundo das cervejas também é complexo e infinito - um enorme universo a ser explorado.
  Para treinar um pouco e também como auto-incentivo para recolocar o blog nos trilhos, decidi fazer alguns pratos com harmonização. Ainda tive a ajuda do professor, o mestre-cervejeiro Daniel Wolff.
   Esse preparo é mais como uma entrada, e ficou muito bom - mas se você estiver numa onda mais light pode ser prato principal mesmo, porque é muito leve e saboroso.

   MOUSSE DE AVOCADO E SALMÃO DEFUMADO:

  - 2 avocados pequenos, bem maduros
  - 100g de salmão defumado fatiado
  - suco de 1/2 limão siciliano
  - 1/2 copo (180g) de iogurte natural
  - 180g de cream cheese
  - sal e pimenta do reino a gosto

   Pique as fatias de salmão defumado em pedaços bem pequenos e tempere com um pouco do suco de limão. Reserve.
   Abra os avocados, separe os caroços e retire a polpa com a ajuda de uma colher. Numa vasilha, misture a polpa com o iogurte e o cream cheese, dosando conforme a consistência que preferir. Adicione o restante do suco de limão e tempere com sal e pimenta.
   Monte as porções em pequenas taças, distribuindo o salmão picado por cima do avocado. Sirva frio ou gelado.


 HARMONIZAÇÕES:



-Hook Norton Hooky Bitter: cerveja estilo Standard Bitter, Inglesa, com 3,6% de álcool. Coloração dourada, com aromas maltados e amargor moderado. Harmonizou muito bem com o avocado e salmão, com um ótimo equilíbrio.








 - Estrella Damm Inedit: cerveja estilo Witbier, Espanhola, com 4,8% de álcool. Criada por ninguém menos que Ferran Adriá e sua equipe de sommeliers. Mescla maltes de cevada e trigo, aromatizada com lúpulos e especiarias, como coentro, casca de laranja e alcaçuz, e com segunda fermentação na garrafa. A diferença de harmonização em relação à Bitter foi muito sutil, mas ficou melhor, com um equilíbrio excelente.




   Prepare com o coração. Deguste em boa companhia.