Páginas

6 de junho de 2015

Tupiniquim Monjolo Floresta Negra

  Essa é mais uma cerveja brasileira premiada com ouro no South Beer Cup 2015. Coincidência ou não, ela foi parar na minha geladeira ainda antes da premiação.
  A Floresta Negra, da Tupiniquim, tem como base sua Monjolo Imperial Porter, com adição de cacau, favas de baunilha e framboesa, tendo como resultado uma Fruit Beer muito interessante e com uma forte pegada de álcool: 10%.
  Na taça, uma coloração negra, brilhante com espuma alta e persistente de cor amarronzada.
  Quando abri a garrafa, o primeiro aroma que senti foi um adocicado de frutas vermelhas. Ao servir na taça, tostados, maltados, caramelo, baunilha. Após descansar um pouco na taça e subir a temperatura, a framboesa ganhou força e se fez mais presente, com um certo toque de massa de torta ou bolo, mas sempre com o tostado sobressaindo em primeiro plano, com um leve toque de frutas secas. Álcool aparecendo bem no final. Complexidade muito interessante.
  Na boca, a entrada é levemente doce, com as framboesas bem aparentes, num corpo médio e com carbonatação bem colocada e amargor leve. O final é doce, com um retrogosto levemente adocicado, lembrando muito frutas vermelhas. Sabor adocicado surpreendente para uma Imperial Porter e muito bem colocada para uma fruit beer para o meu paladar: sem exagerar no dulçor e com baixa acidez. 
  Uma cerveja deliciosa! Digna mesmo de uma medalha de ouro.



 Para harmonizar, uma torta floresta negra ficaria sensacional, ao som de The Verve.

Serviço:
  Tupiniquim Monjolo Floresta Negra
  Fruit Beer

  10,0% ABV
  Degustação 8 graus C 
  País: Brasil
  Garrafa de 310ml
  R$ 21,00 (aproximado)

  Dê seu pulo: beba cerveja de verdade. Em boa companhia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário